Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Natal SAPO Cabo Verde


Terça-feira, 29.12.09

Contar o Tempo - Calendários da Humanidade

Calendário Asteca

O Calendário Asteca, também conhecido como Pedra do Sol, é o calendário utilizado pelos astecas, povo que habitou a região do México até meados do século XVI. Este calendário era baseado no ano solar,  possuindo, assim, 365 dias. O calendário asteca possui semelhanças com o calendário maia.

Artigo completo AQUI

 

 

Calendário Chinês

O calendário chinês (Chinês Tradicional: 農曆, Chinês Simplificado : 农历, pinyin: nónglì) é o mais antigo registo cronológico conhecido na História.
É um calendário que se utiliza tanto a partir do Sol quanto da Lua. A partir dele surgiu o horóscopo chinês. Na Ásia diversos países adoptam calendários parecidos com o chinês.
O calendário chinês é lunissolar. Cada ano possui doze lunações com um total de 354 dias. Para não se perder a sincronia com o ciclo solar (de 365,25 dias), são acrescentados a cada oito anos noventa dias ao calendário, ou, aproximadamente, duas lunações. Desta forma não se perde a sincronia nem com o ciclo solar, nem com o lunar.

Artigo completo AQUI

 

Calendário Islâmico

O calendário islâmico ou calendário hegírico é um calendário lunar composto por doze meses de 29 ou 30 dias com um total de cerca de 354 dias. A contagem do tempo deste calendário começa com a Hégira,  fuga de Maomé de Meca para Medina, em 16 de Julho de 622. O mês começa quando o crescente lunar aparece pela primeira vez após o pôr-do-sol. Tem cerca de 11 dias a menos que o calendário solar.
Este calendário não corrige o facto de o ano lunar não corresponder ao ano solar. Deste modo, os meses islâmicos retrocedem a cada ano que passa; eles mudam-se em relação ao Calendário Gregoriano. Uma vez que o calendário islâmico é cerca de 11 dias mais curto que o calendário solar, os feriados muçulmanos acabam por circular por todas as estações.

Artigo completo AQUI

 

Calendário Hindu

O termo calendário hindu é um pouco confuso, pois  refere-se a um conjunto de calendários regionais da Índia, que se comportam de formas distintas, assim como o calendário nacional indiano.
O governo da Índia adotpou um calendário nacional, o Calendário hindu, em 1957 para unificar os cerca de 30 calendários existentes no país, usados para determinar festas religiosas hinduístas, buditas, jainistas, islâmicas. Embora coincida com o gregoriano na contagem de dias e nos anos bissextos, o novo calendário conta o tempo a partir da Era Saka, que corresponde ao ano 79 da Era Cristã.

Artigo completo AQUI


Calendário Ático ou Grego

O calendário ático ou grego, em vigor em Atenas durante a Antigüidade, é o mais conhecido dos calendários gregos. É de tipo luni-solar.

O ano ateniense compunha-se de doze meses lunares. Originalmente cada mês tinha trinta dias. Posteriormente, com o fim de ajustar-se ao ciclo lunar, foi implantada uma alternância entre meses de 29 dias (κοῖλοι μῆνες / koĩloi mễnes) e de 30 dias (μῆνες πλήρεις / mễnes plếreis). O resultado é um ano de 354 dias, ou seja, onze dias a menos que o ano solar. Para remediar este problema, havia um décimo terceiro mês de trinta dias a cada dois anos lunares.

Artigo completo AQUI

 

Calendário Judaico

Calendário judaico ou hebraico (do hebraico הלוח העברי) é o nome do calendário utilizado dentro do judaísmo para a determinação da data das festividades, dos serviços religiosos e de outros eventos da comunidade.
O calendário hebraico é um calendário do tipo lunar baseado nos ciclos da Lua, composto alternadamente por 12 ou 13 meses de período igual ao de uma lunação, de forma a que o primeiro dia de cada mês é sempre o primeiro dia de lua nova. Nos tempos bíblicos a determinação dos tempos era realizada pela observação direta de testemunhas designadas para este fim, método seguido pelos Caraítas até aos dias de hoje, os quais determinam o primeiro mês do ano como Abib.
O método actual entre os judeus rabínicos é um calendário fixo criado devido á necessidade de um calendário permanente para comunidades que vivem fora de Israel. Este calendário tem base lunar, mas ajusta-se pelo calendário solar (enquanto o Calendário antigo ajustava-se pela maturação da colheita) para a inclusão de um novo mês, além de determinar o início do ano no mês de Tishrei.

Artigo completo AQUI

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 28.12.09

O Calendário dos Nossos Dias - Calendário Gregoriano

O calendário gregoriano é o calendário utilizado na maior parte do mundo, e em todos os países ocidentais; porém, existem países que não o aplicam como a China, Israel, Irão, Índia, Bangladesh, Paquistão, Argélia, etc. Foi promulgado pelo Papa Gregório XIII a 24 de Fevereiro do ano 1582 para substituir o calendário juliano.

Gregório XIII reuniu um grupo de especialistas para reformar o calendário juliano e, passados cinco anos de estudos, foi elaborado o calendário gregoriano, que foi sendo implementado lentamente em várias nações. Oficialmente o primeiro dia deste calendário foi 15 de Outubro de 1582.

Segundo o calendário gregoriano, hoje é 28 de dezembro de 2009 (nota: data de sistema).

O calendário gregoriano é o que hoje em dia se usa e distingue-se do juliano porque:

Omitiram-se dez dias (de 5 a 14 de Outubro de 1582).

Corrigiu-se a medição do ano solar, estimando-se que este durava 365 dias solares, 5 horas, 49 minutos e 12 segundos, o equivalente a 365,2425 dias solares.

Acostumou-se a começar cada ano novo em 1 de Janeiro.

Nem todos os anos seculares são bissextos. Para um ano secular ser bissexto tem de ser múltiplo de 400. Deste modo, evita-se a diferença (atraso) de três dias em cada quatrocentos anos existente no calendário juliano.

A mudança para o calendário gregoriano deu-se ao longo de mais de três séculos. Primeiramente foi adoptado por Itália, Portugal, Espanha e França e de modo sucessivo, pela maioria dos países católicos europeus. Os países onde predominava o luteranismo e o anglicanismo tardariam a adoptá-lo, caso da Alemanha (Baviera, Prússia e demais províncias) (1700) e Reino Unido (Inglaterra) (1751). A adoção deste calendário pela Suécia foi tão problemática que gerou até o dia 30 de fevereiro. A China aprova-o em 1912, a Bulgária em 1917, a Rússia em 1918, a Roménia em 1919, a Grécia em 1923 e a Turquia em 1927.

 

Fontesaber.sapo.cv/

Autoria e outros dados (tags, etc)


PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.